SAMBA ENREDO 1988
Presidente : Hélcio Aguiar
Carnavalesco : Carlinhos de Andrade, Cesar Azevedo e Roberto Costa
Enredo : Pra ver a banda passar, cantando coisas de amor
Compositores : Espanhol e Silvio Paulo
Intérprete : Silvio Paulo
Grupo: A Colocação: 1º


Tudo estava em seu lugar,
Mas veio o Carnaval:
O Arranco explode na avenida
Num sonho tropical...
E o meu Brasil se alegrou,
O seu povo afastou a miséria e a dor...
As bandeiras tremulantes no ar
São as sindicais do amor...

Tio Patinhas, "Tuti-Multi-Tio Sam",
Não conta mais a "verde" exploração,
O "faroleiro" perde o rumo de Brasília
E se filia a este imenso coração...

Vai "bailarina", na ponta do pé;
Tua guerra "soldadinho", é esperança e fé;

Dançando no desejo mais ardente,
O "velho fraco" se fez presidente
A bruxa da inflação queria
Aplausos que não merecia

E lá do céu
Estrelas vêm acompanhar (sempre a brilhar)
A lua cheia, nas baianas a rodar...

Bate que bate, bate forte tamborim...
Lá vai a banda semeando a mutação:
Tudo são flores, a cidade é um jardim,
A igualdade brota em cada folião!

Tudo tomou seu lugar,
A magia acabou, quando a banda passou:
A moça volta a ser triste...
A rosa já se fechou...

Vou pegar minha bandeira,
- Vem me acompanhar!
Que a ilusão é passageira.
- Chega de sonhar!